quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Os razoáveis

Os razoáveis não são para mim
O chope torna-se menos amargo
Tarde macia,acinzenta esses confins
Tão serena, presencia outro trago

Panoramas reduzidos á minha frente
Ou á qualquer caminho insensato
Sarcasmo de velhos rostos na mente
Oh bem, és um dia lento e pacato

Ah, os razoáveis ainda não sendo
Pois jamais trazem-me afagos
Por essas ruas novas, envelhecendo
Ainda reduzem aos bons tragos

Nenhum comentário: