terça-feira, 21 de julho de 2009

Rósea Couve-flor

Ah minha rósea couve-flor
Exale mais veneno por vezes
E eu não morro entre esses
Ladrões de cheiro e sabor

Minha rósea couve-flor...
Deixe teu hálito a perfurmar
E exalar-se-ia ao ar
Junto ao meu bafo de calor

Mas, minha rósea couve-flor
Não deixe-me à estiagem
Sonhando por uma miragem
Faça lânguido teu senhor

Ah minha rósea couve-flor...

2 comentários:

Anita Grey disse...

Belissima composição...sem dúvida!
todas as imagens tem cor,cheiro e sabor que exalam de suas palavras...
sempre perfeitas...
Bejos Julio!

Julio Alcântara disse...

É o cheiro que a vida exala!Já senti o cheiro da morte num sonho...rsrsr
É tipo sinestesia, mas acontece!rsrs