domingo, 3 de maio de 2009

É fascinação

É fascinação – se eu bem reconheço

Fragmento delírios, então...

Sobre eles padeço


É alucinação – e assim eu amanheço

Preso a sonhos em vão...

Eu não a esqueço


É exploração – coloco-a ao avesso

Víbora do velho coração...

Devora-o ileso!

Nenhum comentário: